VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

UMA ANÁLISE A PARTIR DA REALIZAÇÃO DE ACONSELHAMENTO PSICOLÓGICO NA COMARCA DE UNIÃO DA VITÓRIA/PR

  • Alessandra Weisshaar Uniguaçu
  • Amanda Ariel Amazonas
  • Ana Paula Correa
  • Eduarda Lopedote
  • Giorgia Bacci Araujo
  • Laíza Koguta
  • Luiza da Rosa
  • Rita Leck
  • Yasmin Ynajara Bembe Zenaro
Palavras-chave: Mulheres. Violência. Psicologia.

Resumo

O estudo do presente trabalho teve como função analisar as práticas extensionistas ocorridas no Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania (CEJUSC) da comarca de União da Vitória/PR, da Vara da Família e Sucessões e Vara da Infância e Juventude, qual tiveram em sua finalidade a realização do plantão psicológico, visto que, este foi direcionado à mulheres vítimas de violência doméstica residentes nos municípios pertencentes a comarca de União da Vitória, sendo eles: Bituruna, Cruz Machado, General Carneiro, Paula Freitas, Porto Vitória e União da Vitória. Com o intuito de ampará-las prontamente no período de angústia, deste modo, as plantonistas forneceram nos atendimentos, suporte psicológico frente às situações de violência doméstica. Segundo Cavalcanti (2005), a violência doméstica é quando uma pessoa do gênero masculino direciona agressão a outra do gênero feminino, e essa agressão pode ocorrer de diversas maneiras. A análise do presente estudo, foi com base nos dados obtidos, em necessidade, por meio dos relatórios realizados pelas plantonistas, quais se referem aos 96 atendimentos ocorridos dentro do plantão. Presente nestes relatórios, 25,1% relata violência física, 28,3% violência moral; 35,4% violência psicológica; 9% violência patrimonial; e 2,2% relatam violência sexual. Pode-se dizer, através do presente estudo, que o número de mulheres vítimas de violência doméstica é elevado, devendo considerar o atual problema como algo que não deve ser entendido de forma individual, mas sim, de modo coletivo, fazendo com que todos busquem compreender o ciclo da violência que acomete diversas mulheres, bem como, combatê-lo, devendo ser a sociedade e os órgãos públicos, uma rede de apoio a todas as mulheres vítimas de violência doméstica, as proporcionado melhor qualidade de vida e oportunidade de crescimento pessoal.

Publicado
2021-07-05