IMPORTÂNCIA DO COLOSTRO NA IMUNIDADE PASSIVA DOS LEITÕES COM BAIXO PESO AO NASCER E ALTERNATIVAS PARA MANTER SUA SOBREVIVÊNCIA

  • Marilia Metzler de Oliveira Uniguaçu
  • Ademar Zahn

Resumo

Com o desenvolvimento da suinocultura obteve-se uma maior produção de leitões desmamados por gestação. A seleção para hiperprolificidade de fêmeas suínas tem como consequência a variabilidade no peso ao nascer e mortalidade pré-desmame. O baixo peso é a principal causa de morte nas primeiras horas de vida ao nascer por isso a ingestão do colostro é de suma importância para o desenvolvimento de uma vida saudável do leitão. Todo leitão nasce com baixa imunidade, pois a espessura da placenta da porca é muito grossa para a passagem de anticorpos durante a gestação. Estudos comprovam que há uma absorção total de anticorpos pela corrente sanguínea nas primeiras cinco horas de vida, passando esse período vai reduzindo os níveis de anticorpos absorvidos, sendo utilizado para suprir as necessidades energéticas por meio de proteínas, lipídeos e carboidratos auxiliando em seu metabolismo fisiológico. Técnicas de manejo como uniformização da leitegada por categorias de peso e tamanho, entre seis e vinte e quatro horas após o nascimento e suplementação nutricional representam uma boa alternativa para a sobrevivência de leitões fracos.

 

PALAVRAS- CHAVE: Colostro. Baixo peso. Uniformização. Suplementação.

Publicado
2020-08-16