CENTRO DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS

A neuroarquitetura e o envelhecimento saudável e ativo

  • Gabrielli Aparecida Pereira Centro Universitário Vale do Iguaçu - Uniguaçu
Palavras-chave: Neuroarquitetura. Idoso. Centro de permanência. Qualidade de vida. Comportamento.

Resumo

Com o crescente número da população idosa no mundo e das estimativas para o futuro, é necessário repensar a moradia e o cotidiano dessas pessoas, onde essa população tenha a oportunidade de envelhecer de forma digna e saudável. Este estudo tem por objetivo principal apresentar o quanto a Neuroarquitetura pode auxiliar nesta questão, aplicada aos Centros de Permanência para o Idoso. Para isto, foram abordados neste artigo, métodos e conceitos de conforto ambiental, acessibilidade e soluções projetuais para humanizar os ambientes de permanência do idoso, visando à qualidade de vida dos mesmos e o envelhecimento saudável e ativo. O presente artigo baseou se em uma Pesquisa Descritiva para abordar o assunto e o Estudo de caso escolhido para exemplificar os conceitos apresentados foi a Vila de Hogewey, na Holanda. Relacionando a Arquitetura com os estímulos sensoriais foi demonstrado o quanto a arquitetura tem influência sobre seus usuários e quando ela pode beneficiar e proporcionar uma rotina de permanência mais agradável e confortável.

Publicado
2020-12-14