REVISÃO SISTEMÁTICA SOBRE SEDAÇÃO PALIATIVA EM ADULTOS TERMINAIS

  • Thaynara Luise Maciel Unifenas - BH
Palavras-chave: sedação paliativa; terminalidade; domiciliar; hospitalar

Resumo

introdução: sedação paliativa (SP) é o uso monitorado de sedativos para induzir consciência diminuída ou ausente, a fim de aliviar sintomas intratáveis em pacientes terminais. Ainda existem indefinições sobre essa prática, há grande variação no seu uso entre os diversos países e está associada a importantes questões éticas. Objetivos: revisão das evidências científicas dos últimos dez anos sobre SP. Metodologia: busca no PUBMED usando as estratégias: A - (palliative sedation OR sedação paliativa) AND (home OR casa OR domicili$) AND (internação OR hospital$), B - (palliative sedation OR sedação paliativa) AND (TerminallyIll OR doente terminal) AND (home OR casa OR domicili$) AND (internação OR hospital$) e C - (palliative sedation OR sedação paliativa) AND (TerminallyIll OR doente terminal), selecionando os artigos através de filtros e critérios de inclusão e exclusão. Resultados: selecionados 18 artigos de quatro continentes, a maioria abordava a SP em ambiente hospitalar. Pacientes oncológicos foram a população predominante. A principal indicação para SP foram sintomas refratários, sendo feita sedação profunda e contínua na maioria dos estudos. As drogas mais utilizadas foram benzodiazepínicas. Discussão: SP é recente e pouco abordada, os filtros restringiram ainda mais a busca. Não houve consenso sobre o melhor ambiente e como a SP deve ser feita. Intervenções adjuvantes foram descritas, porém não há consenso se são justificáveis e benéficas. Não houve diferença no tempo de sobrevida de pacientes sedados e não sedados. Conclusão: SP é indicada em pacientes terminais para tratar sintomas intratáveis. Ainda há lacunas que necessitam de estudos com alto nível de evidência.

Publicado
2019-12-31