INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO E SUAS CARACTERÍSTICAS FISIOPATOLÓGICAS

  • Laura Trindade Fernandes Centro Universitário Vale do Iguaçu (Uniguaçu)
  • Daniel Alexandre Lima Cavalcante Centro Universitário Internacional (UNINTER). https://orcid.org/0000-0001-9257-0569
  • Willian Amauri Amarantes Centro Universitário Vale do Iguaçu (Uniguaçu)
Palavras-chave: Infarto agudo do miocárdio, Fisiopatologia, Epidemiologia

Resumo

Dentre todas as patologias, as cardiopatias isquêmicas correspondem a principal causa de morbimortalidade no Brasil e no mundo. Nesse contexto, o infarto agudo do miocárdio (IAM) é uma das afecções coronarianas mais prevalentes, representando um papel de grande relevância e de forte impacto na saúde pública nacional. Apesar dos avanços terapêuticos das últimas décadas, o IAM ainda apresenta no cenário nacional expressivas taxas de óbitos, onde grande parte dos pacientes acometidos não recebe o tratamento adequado na escassa faixa temporal necessária. Sua fisiopatologia correlaciona-se com a necrose dos cardiomiócitos, ocasionada pelo desequilíbrio na demanda de oxigênio aos tecidos cardíacos, consequente à obstrução do fluxo coronariano, podendo ser de caráter transitório ou permanente. No presente estudo objetivou-se alinhavar uma análise a cerca dos principais mecanismos relativos à sua fisiopatologia, formas de tratamento e diagnóstico, bem como, coletar dados a cerca de sua epidemiologia, objetivando uma análise pormenorizada das alterações e variações morfológicas que favorecem o acometimento dessa doença.

Publicado
2020-05-21