MANIPULAÇÃO DE PRODUTOS COM EXTRATO DE THUYA OCCIDENTALIS E VERIFICAÇÃO DO POTENCIAL CICATRIZANTE EM CÃES COM DERMATITE – ESTUDO DE CASO

  • Silvana Harumi watanabe Centro universitario uniguaçu
Palavras-chave: Extrato de Thuya occidentalis. Cães. Dermatite.

Resumo

As doenças de pele que acometem os animais têm um número cada vez maior de ocorrências, dentre elas, as dermatites que correspondem 25 a 30% dos casos atendidos por médicos veterinários. As dermatites podem ter diversas origens como bacteriana, parasitária, por contato a um agente externo que possa ser prejudicial ao organismo e também, por alimentos, pois alguns animais podem apresentar uma hipersensibilidade. O tratamento para essas patologias são o uso de fármacos como antibióticos, corticoides, anti-histamínicos, antissépticos e antifúngicos. A preocupação ao uso desses medicamentos são os seus efeitos colaterais e os malefícios, como imunossupressão e ganho de peso que podem ser acarretados. Uma alternativa para o tratamento se encontra na utilização de plantas medicinais uma vez que exibem baixo custo, menor risco à saúde e podem ser extraídos de diversas plantas, como a Thuya occidentalis a qual apresenta componentes com excelentes ações antioxidantes, adstringente, anti- inflamatória, antibacteriana, antiparasitária, antimicrobiana, alta síntese de colágeno e assim levando a um grande potencial cicatrizante. A extração do princípio ativo foi pelo método de maceração com o solvente propilenoglicol, e após incorporação nas formas farmacêuticas pomadas, spray e xampu. Os testes de eficácia foram realizados em um cão e ocorreu num período de 33 dias. Os resultados obtidos foram uma progressão total da dermatite demonstrando uma opção viável, e com potencial para ser lançado no mercado.

Publicado
2020-09-24