INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA EM PESSOAS COM DOENÇA CELÍACA

  • Diego da Silva Instituto Rhema de Educação
Palavras-chave: Doença Celíaca, Qualidade de Vida; Psicologia da Saúde, SF 36.

Resumo

A Doença Celíaca (DC) é uma doença crônica do intestino delgado, autoimune, desencadeada pelo consumo de glúten. A dieta restrita ao glúten é o único tratamento para a DC, desta forma o paciente celíaco (paciente diagnosticado com DC) precisa alterar os hábitos alimentares, a rotina tanto social, quanto familiar. Trata-se de uma pesquisa descritiva, através da aplicação de um questionário chamado SF-36, que tem como objetivo avaliar a Qualidade de vida, sendo um instrumento validado nacionalmente. A aplicação ocorreu com pacientes com diagnóstico de Doença Celíaca membros da Acelpar (Associação dos Celíacos do Paraná). Participaram da pesquisa 53 indivíduos maiores de idade, e segundo a análise de dados o tempo médio de diagnóstico dos participantes é de 05 anos e 01 mês. Houve declínio como aspectos de Estado Geral de saúde (50,00), Vitalidade (51,56), Aspectos Sociais (50,49), Limitação por Aspectos emocionais (56,44) e Saúde Mental (54,35). Desta maneira pode se concluir que questões como dificuldades familiares, amigos, trazem impactos emocionais e sociais. Alguns pacientes acabam se isolando, alguns possuem dificuldades em situações de confronto ou falta de habilidades sociais ou até mesmo assertividade em explicar a importância de manter a dieta quando questionados em seus relacionamentos sociais e essas situações impactam a qualidade de vida do indivíduo.

Publicado
2020-09-24