OS IMPACTOS PSICOLÓGICOS DA VIOLÊNCIA SOFRIDA POR TRAVESTIS COM HIV NO BRASIL

  • Diego da Silva Instituto Rhema de Educação
Palavras-chave: HIV; travestis; impactos psicológicos; transfobia;

Resumo

O HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) /AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida), vem tendo um crescente índice na população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBTT). Certos autores e organizações definem travestis como pessoas que se entendem como homens, mas que adotam a identidade feminina; gostam de se relacionar sexual e afetivamente com outros homens e buscam inserir em seus corpos símbolos do que é socialmente tido como próprio do feminino, transitando entre os dois gêneros. Segundo a OMS, a situação de vida das travestis é mais precária, pois a maioria não tem acesso a serviços de apoio, como plano de saúde ou benefício social. Considerando a importância dos fatores programáticos para o enfrentamento da epidemia do HIV/AIDS, a integração e a participação social das travestis em grupos de apoio, ONG e Organizações Governamentais ainda pouco colaboram para mudar esse cenário, indicando que existe uma necessidade de ampliar as estratégias que favoreçam a inclusão das travestis nesses ambientes. Com isso nesta revisão de literatura o objetivo é trazer quais os impactos psicológicos que as travestis com HIV sofrem em decorrência da transfobia.

Publicado
2020-09-24