DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA

Um estudo de revisão.

  • Bianca Loss Vezaro Centro Universitário Vale do Iguaçu
  • Rafael Gemin Vidal Centro Universitário Vale do Iguaçu
Palavras-chave: Síndrome metabólica. Diagnóstico. Tratamento.

Resumo

A síndrome metabólica (SM) pode ser definida pela junção de diversos distúrbios metabólicos, caracterizado por um quadro de intolerância à glicose, hipertensão, níveis elevados de triglicerídeos, baixos níveis de colesterol HDL e obesidade abdominal. O objetivo deste estudo foi elucidar as principais alterações no quadro clínico do paciente acometido por SM, apontando ainda os principais tratamentos aplicados. Trata-se de uma pesquisa básica, descritiva, que realizou um levantamento bibliográfico nas bases de dados scielo, lilacs e google scholar. Foram utilizados os descritores “síndrome metabólica” isolada e relacionada aos descritores “diagnóstico”, “tratamento”, e “exercício físico”. Foram incluídos os artigos escritos na língua portuguesa, publicados entre os anos de 2010 e 2020, que elucidassem sobre técnicas de diagnóstico e tratamento da SM. O diagnóstico da SM é pautado em alterações em exames clínicos, como aumento da circunferência abdominal, e laboratoriais relacionados as alterações no perfil glicêmico e lipídico e hipertensão arterial. Diante da detecção do quadro, o tratamento envolve o uso de medicamentos, associados as mudanças nutricionais e prática regular de exercícios físicos. As diretrizes sobre a SM apresentam critérios convergentes, dificultando o diagnóstico, portanto o olhar atento do profissional da área da saúde, para detecção precoce da doença, tem impacto direto na efetividade do tratamento. Por outro lado, é consensual que as alterações na rotina, adequadas ao tratamento, são as práticas mais eficazes para o controle e contenção da SM.

Publicado
2020-12-14