REABILITAÇÃO DO MEMBRO SUPERIOR PARÉTICO PÓS ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL COM UTILIZAÇÃO DA TERAPIA POR CONTENSÃO INDUZIDA: REVISÃO DE LITERATURA

  • Caroline Aparecida Martins Uniguaçu
Palavras-chave: Acidente vascular cerebral. Técnica de restrição. Paresia. Fisioterapia.

Resumo

Acidente Vascular Cerebral é a segunda causa de incapacidade e morte no mundo e até 2030 será a primeira. É definido como desenvolvimento rápido de sinais clínicos de distúrbios focais ou globais da função cerebral que persistem por mais de 24 horas, o sinal clínico mais comum é a sequela motora de hemiparesia, que em sua maioria compromete o membro superior e a realização de atividades funcionais. Nesse sentido propõe-se que a terapia por contensão induzida, também conhecida como técnica de restrição, seja uma estratégia para a reabilitação do mesmo, por basear-se na restrição do membro superior não lesionado e o treino intensivo do membro superior comprometido. Este trabalho teve como objetivo investigar as principais repercussões funcionais associadas à aplicação da terapia por contensão induzida em um paciente hemiparético após AVC. O método utilizado Trata-se de uma revisão de literatura de caráter qualitativo, que consiste na busca on-line de artigos científicos nas bases de dados SCIELO, MEDLINE, PUBMED e Google acadêmico. Por fim a literatura traz evidências que a terapia de contensão induzida utilizada precocemente oferece resultados satisfatórios quando comparados com técnicas mais tradicionais.

Publicado
2019-07-30