A INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA PRÉ E PÓS-OPERATÓRIA EMBASADA EM CARDIOPATIAS CONGÊNITAS PEDIÁTRICAS

  • Gabriéla Moser Kluge Centro Universitário Vale do Iguaçu
Palavras-chave: Fisioterapia. Pediatria. Cardiopatia. Cirurgia cardíaca.

Resumo

As cardiopatias congênitas podem ser delineadas como qualquer anormalidade na função ou estrutura cardíaca que surge nas primeiras 8 semanas de gestação, tais variações anatomofisiológicas ocorrem por alterações no desenvolvimento embrionário da estrutura cardíaca. O desígnio deste artigo científico baseia-se em advir uma revisão sistemática de literatura abordando sobre as principais intervenções fisioterapêuticas durante os períodos pré e pós-operatórios de cirurgias cardíacas pediátricas, com base na sua prevalência e incidência das manifestações que mais acometem os pacientes e, sua progressão de doença. Este levantamento bibliográfico fundamenta-se em artigos científicos publicados no período de 2008 a 2018, alicerçando-se em dados de pesquisa da plataforma SciELO e PubMed. Como resultado, estima-se uma eclosão em território brasileiro de 28.846 novos casos por ano, destes pacientes, em média 23.077 necessitam de intervenção cirúrgica de correção por ano. As cardiopatias congênitas pediátricas manifestam muitas variantes e alta frequência de cirurgias cardíacas com complicações pulmonares muito comuns, no entanto, subsistem poucos estudos científicos sobre o tema, os motivos desta falha de pesquisa não são totalmente conhecidos e/ou esclarecidos.

Publicado
2020-12-14