HIDROTERAPIA NA CRIANÇA COM PARALISIA CEREBRAL

UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

  • Gabriéla Moser Kluge Centro Universitário Vale do Iguaçu
Palavras-chave: Hidroterapia. Paralisia Cerebral. Pediatria.

Resumo

A paralisia cerebral (PC) ou também denominada, encefalopatia crônica não progressiva da infância (ECNPI), refere-se a uma consequência de lesão cerebral estática, que pode ocorrer durante os períodos pré, peri ou pós-natais, de forma a afetar o sistema nervoso central (SNC) em suas fases de maturação estrutural e funcional. O desígnio deste artigo científico baseia-se em advir uma revisão sistemática da literatura sobre a intervenção fisioterapêutica utilizando a hidroterapia como plano de tratamento em crianças com PC, durante o período de 2010 à 2020, baseando-se em dados de pesquisa das plataformas SciELO, PubMed, e Google Acadêmico. Como resultado, o tratamento fisioterapêutico utilizando a hidroterapia demonstra-se eficaz na melhora da função social, manuseio na habilidade  da pinça fina, equilíbrio e coordenação motora, no esquema corporal, na lateralidade, na orientação espacial/temporal e no desempenho de atividades de vida diária; redução do gasto energético, melhora da frequência cardíaca; aumento da velocidade da marcha e da flexibilidade de cadeia posterior; no entanto, há a necessidade de uma maior divulgação sobre os benefícios do tratamento fisioterapêutico utilizando a hidroterapia.

Publicado
2020-12-14