ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NA FARMACOTERAPIA DE MEDICAMENTOS ANTICONCEPCIONAIS ASSOCIADO AO TABAGISMO EM UMA COMUNIDADE DO MUNICÍPIO DE BELA VISTA DO TOLDO - SC:

UM ESTUDO DE CASO

  • Elaine Ferreira Centro Universitário Vale do Iguaçu
  • Fabiana Schiessl
Palavras-chave: Anticoncepcional. Tabaco. Tromboembolismo.

Resumo

Os fármacos contraceptivos também designados pelo termo anticoncepcionais, baseiam-se em um método muito confiável, contendo uma combinação de hormônios estrogênios e progestina ou apenas progestina. Os ACs mais utilizados são as pílulas orais. Seu mecanismo de ação baseia-se na associação hormonal, que possuem algumas ações, resultando a principal delas a inibição da ovulação. A administração do AC e o uso do tabaco é visualizado como um importante problema a saúde coletiva, demostrando como uma das principais causas a evolução de tromboembolismos e AVCs. De acordo com OMS, as mulheres fumam em respostas negativa como o estresse. De acordo com os dados do INCA, no Brasil, 428 pessoas vão à óbito devido a dependência de nicotina. Mulheres que fumam de 1 a 4 cigarros por dia tem risco de 3 vezes mais chances de mortalidade por doenças coronarianas e um risco maior de evoluírem à óbito por doenças malignas comparadas às não fumantes. O objetivo deste trabalho foi promover Assistência Farmacêutica na administração de medicamento anticoncepcional associado ao tabagismo, com estudo de caso de 6 mulheres que compartilham características em comum, e que residem em uma comunidade no Município de Bela Vista do Toldo – SC. A pesquisa tratou-se de um estudo de caso que abordou uma análise quantitativa, exploratória. No estudo, foram abordadas questões discutíveis, relacionadas aos efeitos colaterais que estas mulheres apresentaram ao fazer o uso AC associado ao tabaco. Todas as participantes (N=6), relataram fazer o uso AC oral, onde 83,3% utilizam a pílula através de orientação médica e 16,6% por indicação de familiares, destas, apenas 33,3% apresentaram reações adversas sobre o método. O tipo de tabaco utilizado pelas participantes são cigarro normal e 

palheiro. Dessas mulheres 50% relataram sentir algo de incomum quando utilizaram o tabaco junto ao AC como: enxaquecas frequentes, náuseas, cansaço, tonturas e ansiedade. De acordo com as participantes com mais de 41 anos, as patologias apresentadas por elas são arritmia cardíaca e obesidade, sendo que as mesmas administram junto ao AC outros medicamentos como: Flavonid®, Ansiodoron®, levotiroxina e cálcio, sendo que apenas a levotiroxina apresenta interação medicamentosa com etinilestradiol. As participantes, ao responderem ao questionário, receberam acompanhamento individual e, ao término do estudo, receberam uma devolutiva com as principais informações acerca das interações medicamentosas, e outras questões específicas para cada caso, incluindo orientação para busca de grupos tabagistas, que, caso não fosse possível, foram orientadas a fazer a troca por outros métodos contraceptivos, assim como os de barreira. Dessa forma, destaca-se a atuação do profissional farmacêutico como promotor da qualidade de vida através da educação em saúde.

Publicado
2021-06-21