ANOREXIA NERVOSA SOB A PERSPECTIVA DA TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL:

UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME “O MÍNIMO PARA VIVER”

  • Aline Aparecida Gurzinski Uniguaçu
  • Cauane de Fatima Fernandes
  • Leticia Rodovanski
  • Marislaine Lopes Rodrigues
  • Amália Beatriz Dias Mascarenhas
Palavras-chave: Anorexia Nervosa., Terapia Cognitiva Comportamental., Filme.

Resumo

No presente estudo, foi analisado o filme “O mínimo para viver” e as
contribuições da Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) sobre o impacto dos
Transtornos Alimentares acerca da vida dos adolescentes, principalmente no
tratamento da Anorexia Nervosa (AN). O drama “O mínimo para viver” é um filme de
Marti Noxon que versa sobre uma jovem chamada Ellen, que sofre de anorexia, a qual
é caracterizada como um distúrbio alimentar multideterminado, que causa prejuízos
significativos às pessoas que sofrem com esse transtorno, sendo de cunho social,
físicas, psicológicas e nutricionais. Pessoas que desenvolvem a anorexia
normalmente se dão ao fato de um conflito interno mal resolvido. Entretanto, é um
conflito que está sendo despertado depois de muito tempo reprimido e assim é
manifestado como forma de uma doença psíquica. O trabalho com a TCC salienta a
mudança cognitiva, a qual envolve modificação no pensamento e no conjunto de
crenças do paciente para produzir mudanças emocionais e comportamentos
duradouros. Assim, o objetivo do trabalho com a TCC é o aumento de peso e o
desenvolvimento de um padrão regular de alimentação, levando em consideração a
imagem corporal e os padrões estéticos.

Publicado
2021-06-28