ATENDIMENTOS PARA USUÁRIOS COM TRANSTORNO DEPRESSIVO NA ATENÇÃO BÁSICA: GRUPO TERAPÊUTICO E OFICINA DE ARTESANATO CONCOMITANTE COM O TRATAMENTO MÉDICO

  • Suelen Dulce Franco Centro Universitário Vale do Iguaçu
Palavras-chave: Atenção Básica; Depressão; Grupos; Oficinas;

Resumo

O presente artigo é um estudo bibliográfico que visa explanar sobre o atendimento em saúde mental na atenção primária em saúde, especificadamente para pessoas com transtornos depressivos. Além do tratamento medicamentoso, a bibliografia evidencia a importância do tratamento psicológico, seja através de atendimento individual ou grupal e das oficinas terapêuticas, que são formas alternativas do sujeito expressar a sua subjetividade. Assim, pensando na Atenção Básica como a porta de entrada do Sistema Unico de Saúde – SUS, é essencial que o tratamento ou encaminhamento rápido ao atendimento especializado ocorra de forma eficiente, para evitar agravos ou que as patologias tornen-se crônicas ou agudizadas. Especificadamente falando sobre a depressão, observa-se que ainda há resistência na compreensão desta patologia e no seu tratamento, onde as pessoas buscam um resultado imediato recorrendo ao medicamento e esquecendo de tratar, a causa, surgindo a resistência em ir ao psicólogo, participar de grupos, oficinas e atendimentos individuias, mas esse paradigma deve ser quebrado com a inserção destes atendimentos na atenção básica e a divulgação para a população, pois se é algo novo, naturalmente cria-se certa resistência, então divulgar é um dos caminhos para a concretização de um atendiemento eficaz e eficiente. Sendo assim, este artigo possui o objetivo de buscar na literatura existente, a importância da realização do tratamento psicológico comcomitante com o tratamento medicamentoso para a depressão na atenção básica, buscando efetivar o atendimento neste nível de saúde, que deste modo, irá refletir nos outros níveis.

 

Publicado
2019-07-30